No hotel Fasano, na orla de Ipanema, em plena cidade do Rio de Janeiro, aconteceu hoje, (21/03), a coletiva de imprensa do filme Noé. O evento se deu com o ator Russel Crowe (Gladiador), que protagoniza a obra e dá vida ao personagem título. Em uma coletiva bem descontraída, o australiano respondeu  questões referentes ao filme, a sua interação com os colegas de elenco, as controvérsias cuja obra vem levantando e sobre a sua própria visão acerca da história bíblica.

>>> CONFIRA A GALERIA DE FOTOS 

Filmagens

O ator, conhecido por ter uma grande criação de gado na Austrália, disse ter ficado triste por não poder ter interagido com animais reais (o filme, salvo raras exceções, se utiliza apenas de animais criados por efeitos de computação gráfica). Ele comentou sobre as dificuldade de se filmar nos desertos da Turquia e principalmente de suas tomadas na chuva. Sobre o tema, ele ainda brincou que aquilo que mais gostou no Rio de Janeiro foi a temperatura (Russel acabara de voltar de Moscou, onde foi fazer a divulgação do longa).

Elenco e equipe

Russel elogiou toda a equipe do longa, destacando o fato de poder ter trabalhado novamente com nomes como Anthony Hopkins (Spotswood), e Jennifer Connelly (Uma Mente Brilhante). Sobre a segunda, ele disse a intimidade que os dois tinha criado em Uma Mente Brilhante, facilitou muito na construção da relação de seus personagens, em Noé. Crowe ainda comentou sobre a carreira do diretor Darren Aronofsky, apontando como ele precisou mostrar sua capacidade em diversos filmes menores (como Pi e Réquiem para um Sonho) para poder ter tido a oportunidade de trabalhar com um orçamento gigantesco (informações dizem que o filme custou 160 milhões de dólares, sem contar gastos com propaganda e distribuição).

Noé, o personagem

Ao ser perguntado sobre sua opinião sobre Noé, Russel sublinhou que o personagem é bem diferente daquele que conhecemos através das histórias infantis. Baseado no Antigo Testamento, o ator ressaltou que Noé não é um homem santo, mas alguém que foi escolhido por sua capacidade de ser um servidor: alguém que recebe uma tarefa e a cumpre, sem questioná-la. Por diversas vezes, o ator corrigiu membros da imprensa dizendo que não se tratava de uma escolha feita por Noé e que a história não deveria ser encarada dessa maneira.

Photo by Raphael Dias/ Getty Images for Paramount Pictures International

Photo by Raphael Dias/ Getty Images for Paramount Pictures International

Controvérsias Religiosas

Como qualquer filme bíblico, Noé despontou algumas polêmicas pelo mundo. Sobre elas, o ator australiano disse que foi convidado, junto a Aronofsky (Cisne Negro), para conversar com o Papa Francisco e destacou a generosidade do mesmo.

Crowe disse ainda que o filme não deve ser assistido com uma obra especificamente cristã, uma vez que encará-la assim seria se fechar para a discussão que ela traz. O ator ressaltou que o filme trata sobre uma história primordialmente humana. Russel lamentou o banimento de Noé em países de maioria muçulmana (pois, na religião islâmica é proibido a representação visual dos seus profetas – como é o caso de Noé), mas disse que a produção do filme já esperava essa decisão. Segundo o ator, esse tipo de atitude impede o debate e ocasiona a perda de uma troca de conhecimentos e pontos de vista. Por fim, ele ainda informou que o próprio mito da enchente é um ponto comum entre praticamente todas as religiões, ressaltando esse caráter ecumênico.

Noé estréia no dia 3 de Abril, tanto em 2D quanto 3D.

*Foto de Capa: Raphael Dias/ Getty Images for Paramount Pictures International

Comentários do Internauta

Comentário(s)

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado